segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Oupras lalavras

Estejam avisados: estou pilotando, cangueiramente como convém, o notebook que Rejane comprou para dar conta dos textos do mestrado que está cursando. Somos qual o casal da música de Chico: quando ela fecha o livro, digo, o computador, eu abro o Sopão - o funcionário e a bailarina, o blogueiro e a mestranda. Isso tudo é para dizer que erros de digitação serão comuns, abundantes, diria até irritantes. Recomendo paciência, porque não estou familiarizado com esse techado achatado e, pra piorar, o tal notebook tem aquele defeito muito frequente na família - o de fazer o curso sumir num lugar e aparecer em outro, bagunçando a organização das palavras. Parece uma dança - há momentos, como agora mesmo, em que o bicho pensa que é um bailarino clássico e haja circular entre meios de palavras e finais de frases, como uma partícula subatômica que escapou do núcleo. Quando o carnaval passar, e a gente voltar para casa, quem sabe eu arranjo tempo e paciência para sair recolando cada letra certa no lugar errado, ou cada letra errada no lugar certo - mas, garanto que, nessa antirrevisão (é assim, agora, alguém sabe - e cadê o ponto de interrogação desse teclado) do português vai ser possível entender o sentido do que se quer dizer. Se não for, não terá sido por erros de digitação, mas por impropriedades verbais por trás das quais se esconde o errático redator. Tenho dito.

2 comentários:

ana sua mana disse...

sebá, tb comprei um notebook não faz muito tempo, e sou cangueira que nem vosmecê na hora de pilotar o biho. fiquei muito feliz ao perceber que não sou só eu que tenho problemas com o cursor que some e reaparece nos lugares mais inconvenientes (juro que achei que o problema era só comigo). e bem-vindos à terra natal! espero que, até o dia 20, eu consiga ver o senhor, a mestranda e os filhotes lindos. beijins.

ana sua mana disse...

errata: "na hora de pilotar o bicho..."